MOÇÃO DE REPÚDIO CONTRA A JUNTA MÉDICA DE SÃO JOSÉ

Na assembleia realizada pelo Sintram/SJ no dia 25 de maio, cerca de 1.300 servidores públicos municipais de São José estiveram presentes e ovacionaram em pé com fortes aplausos a publicação de uma moção de repúdio contra a junta médica do município. Após o relato emocionante da servidora Nadir Schussler, que está com a saúde extremamente vulnerável, sobre a forma como foi humilhada e assediada na junta médica do município, diversos servidores caíram no choro e declararam sua manifestação de apoio à colega.

A categoria se emocionou não apenas pela história de Nadir, mas pelo fato de que se enxergaram e relembraram as várias situações de assédio vivenciadas ao longo dos últimos anos na junta médica, quando estavam adoecidos e também tiveram seus atestados cortados e questionados.

Essa mesma assembleia deliberou pela GREVE iniciada no dia 31 de maio. Na pauta da Data-Base deste ano, os servidores municipais reivindicam a instauração de um Programa de Saúde do Trabalhador e de concurso público para formar uma equipe qualificada e multiprofissional que atue na junta médica de São José. Aliás, essa é uma luta antiga, que já conta com diversas promessas por parte do Executivo Municipal, mas que nunca foram cumpridas.

O tema junta médica vem sendo discutido há bastante tempo, e os servidores não aceitam mais ser humilhados e questionados a cada período de vulnerabilidade. A categoria vem enfrentando dois anos de uma pandemia que sobrecarregou e adoeceu. E, ao invés de a Prefeitura reconhecer esse momento da conjuntura e pensar em estratégias de promoção de saúde ao trabalhador, a atual gestão dificulta ao máximo cada etapa para que os servidores usufruam de seu direito à licença saúde com dignidade para que possam se recuperar.

Os servidores(as) de São José possuem diversas histórias para contar sobre suas dificuldades com a junta médica, mas foi na assembleia, um espaço de coletividade e solidariedade, que Nadir personificou as angústias dos trabalhadores que estavam guardadas há anos. Por isso, o Sintram-SJ se manifesta em apoio à servidora e repudia a forma como a junta médica atua no município de São José.

O sindicato reitera a solicitação para que o Executivo Municipal atenda o Comando de Greve e apresente uma proposta que preveja, finalmente, a concreta realização de concurso público para a junta médica e a instauração de um Programa de Saúde do Trabalhador para que esses serviços atuem, de fato, na perspectiva da atenção, humanização, cuidado e recuperação dos trabalhadores.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*